Doidera…

24 10 2007

Hoje eu tive a brilhante ideia de ir na “empadinha” com Iara, lá é legal, a empada é gostosa e talz, fica na calçadinha e eu gosto de dar uma volta na praia depois…  O grande problema é que resolvi ir lá logo num sábado a noite – puta idéia merda… – o que tinha de “doiderinha” lá num era brincadeira, dava raiva daquele mói de desgraça. Iara ainda perguntou se eu não preferia açaí, mas não… eu tinha que preferir empada…

Assim que a gente sentou eu avistei umas três mesas cheias deles, foi ai que eu comecei a procurar uma pedra ou algo maior e menos sutil.  Iara ainda tentou aliviar dizendo que jajá eles iam embora, mas nãããooo, eles não podiam sair antes de demonstrar toda sua “malandragem” e “rebeldia”.  Começaram a falar alto, realmente alto, dizendo repetidamente e pra todo mundo ouvir, “Ta vendo esse aqui? Ele é meu amigo, ele é legal”, essa cena repetiu-se pelo menos 15 vezes, logo em seguida eu ouvi uns “Vambora porra, bora beber, aqui tá uma merda, eu quero ficar cego e pegar umas ‘nega'”.  Isso realmente me deu vontade de cegar alguém, mas não do modo convencional, na hora me veio nacabeça algo que usasse limão, açucar, gelo e pinga…

Me lembrou também uma conversa que eu tive com Yves sobre os “doiderinhas”.  Ele tava me dizendo a definição de “doiderinha”, e é a seguinte: “doiderinha” é aquele tipo de criatura que tem por volta de 15 anos e é um pseudo-rebelde, beberrão e comedor. Aí você me pergunta “Como assim???”, e eu respondo: é aquele cara que diz “Hoje eu vou beber, mas 10 horas eu tenho que tá em casa”, “Hoje eu tô afim de quebrar a cara de alguém, mas 10 horas eu tenho que tá em casa”, “Tô afim de pegar muita ‘nega’ hoje, mas 10 horas eu tenho que tá em casa”, eu acho que deu pra sacar que porra é um “doiderinha” né???  Só não é pior que emo, se bem que emo é foda… e pelo menos o “doiderinha” finje que fode.

Advertisements




CALIFORNICATION

21 10 2007

É… a música é legalzinha, mas vocês têm que concordar comigo que o RHCP já fez coisa melhor – under the bridge – e o novo cd ARCADIUM STADIUM também é bem legal. É o tipo de música que se tocar eu não reclamo, mas também não serei eu a colocá-la na “play list”.

Na verdade esse post ta indo pelo caminho errado, não é exatamente desse CALIFORNICATION que eu quero falar, o intuito inicial é comentar a nova série do David Duchovny, que por sinal é muito foda!!!

A série ainda não estreou no Brasil, mas graças à internet a gente já pode ver. Ontem, sábado, eu havia me programado pra passar a tarde e uma boa parte da noite estudando, sacomé… final de período é foda, mas meu irmão me chamou pra assistir uns episódios, terminamos vendo os 10. Na parte do sábado passado que eu me lembro, antes dos BABÕES, Joffison tava me falando dessa série, e pelo que ele falou, eu me empolguei muito.

Seguinte, parar de enrrolação e falar logo. A série é cheia de putaria e palavrões, eu tô descobrindo novos usos pra “fuck”, além do usual!!! Hank Moody é um escritor, que não está conseguindo escrever, viciado em sexo, bebida e cigarros, que está apaixonado pela ex-mulher, bastante impulsivo e com uma ajuda divina pra fazer merda…

Bem, tirem suas próprias conclusões sobre a série com a primeira cena, calma… não vai atrapalhar a história.






Falso Sequestro

20 10 2007

Como é bom fazer parte das estatísticas, saber que você não é tão diferente do resto da população, pra ser sincero ainda não sei se essa última parte é boa ou ruim….  Mas como eu ia dizendo, mesmo sem nunca ter sido entrevistado pelo IBOPE, Data-Folha, Data-Foda-Se, nunca ter tido dengue, nunca ter sido assaltado, nunca ter sido vítima de bala perdida, ter terminado o segundo grau, e mais um paiol de coisas que acontecem com a maioria da população – não que eu reclame de ter ficado de fora da grande maioria delas – finalmente entrei pro grupo das pessoas que receberam o trote do “falso sequestro”.

Hoje de manhã eu acordei com um telefonema a cobrar, quando atendi ouvi uma criança chorando pedindo ajuda e uma voz estranha, eu vou reproduzir uma parte do dialogo – sempre imaginem uma voz chorosa ao fundo.

Ladrão: Fique calmo, estamos com seu filho!

Eu: Filho?? eu não tenho filho, é engano?!?!

Ladrão: É não, tu tem irmão?

Eu: Tenho sim.

Ladrão: Então é esse mermo… pegamos ele e se você fizer tudo direito ele fica bem.

Eu: Sério, num brinca?? Mas tu num ta pensando em devolver não né?

Ladrão: Se você fizer o combinado ele volta seguro e bem.

Eu: Calma, deixa eu considerar a proposta, e manda ele chorar mais baixo, porque assim fica dificil pensar

…  Te fode panaca, pode ficar com ele!!!

Ladrão: Tu acha que eu tô bincando truta?? A casa vai cair pro, pro…. qual o nome dele??

Eu: Junior, mas pode chamar de cabeça, ele gosta.

Ladrão: Hum-hum – pigarro – A casa vai cair pro cabeça, morou???

Eu: Entendi sim pô!!! Dá logo fim nele e a gente ta conversado, se tu aparecer por aqui quem sabe te dou um presente.

Ladrão: Tu acha que eu sou o que cumpadê??? Eu vou manda subir, vou deita geral o muleque!!

Eu: Fechado, aparece de novo depois porque eu tenho outro irmão, té mais. Sim… manda um beijo pra ele e diz que eu fiz o possivel, tchau…

– tu tu tu tu… –

Logo em seguida meu irmão apareceu e perguntou porque eu tava acordado tão cedo:

Eu: Nada, só tive um sonho bom… – suspiro –





Manifesto pela barriga de chopp!!! (passe a diante)

15 10 2007

 

Meninas (e meninos) de todo o Brasil, tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute!

Na próxima vez que encontrá-lo, tente (disfarçadamente) descobrir como é sua barriga. Se for musculosa, torneada, estilo “tanquinho”, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim.

Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Veja bem, não estou falando daqueles gordos suados, que sentam horas na frente da televisão com um balde de frango frito e que, quando se abaixam, mostram um cofre peludo. Não! Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto.

E eu digo por quê. Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma – e provavelmente será engraçado, mesmo.

Já os “tanquinhos” farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores – e eu tenho dó das que caem.

Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou Coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco ou coca-light. Ou, pior ainda, um copo com gelo pra beber a mistura patética de vodka com “clight” que trouxe de casa .. E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação.

E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar. Você nunca irá ouvir um “ah, amor, ‘Quarteirão’ é gostoso, mas você podia provar uma ‘McSalad’ com água de coco”. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar. Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará seu relacionamento.

Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga. Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.

Outra coisa fundamental: homens barrigudinhos são confortáveis! Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível! Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional.

Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo. Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar, a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar. É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.

(DANUZA LEÃO), a mulher mais chique do Brasil

PS.: Essa sabe do que tá falando.

(tirei esse post daqui, la tem mais coisas legais, =D)





Como acabar com uma estória do nada.

12 10 2007

Bem… eu ja disse que queria se mágico quando criança??? Foi uma época estranha, eu sonhava com o Barney (sim… o dinossauro roxo) vestido de assistente gostosa, usando fiu-dental (não… não era nos dentes); comigo tentando tirar um coelho do boné; tentando cortar a tia Berenice ao meio ,a tadinha chorava tanto…

Eu passava horas me imaginando naquela vida de geis de cabelo, blazers sem gravata e com a camisa meio aberta, ja conseguia até me ver fazendo apresentações nos cassinos de Las Vegas, com tigres albinos, usando uma mascara preta e fazendo algum truque imbecil com cartas, ah… o glamour….

Uma vez pedi pro meu pai me levar pro show do grande Cantrini, tataraneto do Houdini, ele dizia ter poderes excepcionais herdados pela sua linhagem. Pra resumir a história, eu mudei de idéia quando um sujeito levantou da platéia e mandou ele usar os poderes pra esquivar de uma bala, e caso ele conseguisse sobreviver o sujeito deu mais três Tiros de “aviso” nele. Foi isso que me fez mudar de idéia… simples, né???





Solucionando problemas…

7 09 2007

    Bem, eu ando meio ocupado ultimamente, acho que deu pra notar….  Vou encurtar a estória, pra ficar mais fácil de entender.

     Faz uns dois meses que eu fui chamado pra aula em uma escola de ensino médio, e como boa alma caridosa que sou, além de desempregado, não pude negar-me de transferir meu conhecimento para pequenos seres sedentos por conhecimento, posteriormente foi me referir a ele como “filhos-da-puta-do-inferno” por motivos claros.

    O combinado seria que eu desse aula para alunos da quinta série e o assunto seria o mais simples possível, em outras palavras “grana fácil”.  Comecei a fazer planos para o primeiro mês de aula, estava planejando muitas dinâmicas, poucas aulas e muitos exercícios.  Nada como um trabalho que dá prazer, finalmente poderia descontar tudo que me fizeram na época de colégio!!!!

    Entretanto aconteceram alguns problemas, depois da primeira semana eu já tinha duas certezas: o inferno é cheio de crianças e que elas me matariam antes da vodka.  Passei o final de semana me indagando como eu poderia revidar sem que os matasse, foi bem difícil encontrar uma solução que não envolvesse pólvora, ácido ou outras proparoxítonas letais.  Resolvi usar métodos mais ortodoxos, mas não menos eficazes.

    Sabe quando a “tia” da escola faz uma listinha no quadro com o nome dos alunos e no final de cada aula o aluno que tivesse seu nome no quadro ia pra coordenação??  Eu fiz uma coisa semelhante, com alguns detalhes pra diferenciar, em cima da minha versão tinha escrito “lista negra”, cada aluno tinha 3 chances de tirar seu nome da lista: uma era se comportando, outra era com propina (pequenos agrados se você preferir) e a última era com auto-flagelação (quero deixar bem claro que eles sempre tiveram livre arbítrio, mas em alguns casos nem um Johnny Walker resolvia…).  Mas eu sempre fui um professor bondoso, nunca mandei um aluno pra coordenação, ainda acho que uma integração com alunos mais experientes é muito mais eficiente.  Como castigo pelo seu nome ter permanecido na lista eu os enviava para uma conversa com uma equipe de monitores especialmente selecionados entre os repetentes.

    Em pouco tempo meus problemas estavam totalmente resolvidos, infelizmente 3 tiveram que se ausentar das aulas por motivos de saúde e 1 pediu transferência por ter sofrido ameaças de algum pervertido doente.  E como vocês podem ver agora estou com tempo para o blog de novo, meus alunos estão aprendendo e minha adega esta cheia… isso sim é emprego.





Rapidinha…

11 06 2007

     Ontem depois do jantar a garçonete aproximou-se da mesa com o carrinho de sobremesas e perguntou:

-Aceitam torta alemã???

Foi então qeu eu usei toda minha sinceridade pra responder:

-Não obrigado, meu sangue judeu não permite!!!

(garanto que todo mundo riu na hora, =P, menos o rabino da mesa ao lado, =X)